Confiança do consumidor volta a cair, aponta pesquisa

Pesquisa realizada pelo Sicomercio aponta queda de confiança dos consumidores. A maior queda está entre quem recebe mais de 10 salários mínimos e mulheres.
 
Limeira, 14 de agosto de 2017 – A pesquisa de Índice de Confiança do Consumidor (ICC), apurado pelo Sindicato do Comércio Varejista de Limeira (Sicomércio Limeira), apontou nova queda após resultado positivo da última apuração, somando 99,5 pontos no mês de agosto, queda de 4,4% em relação ao índice do mês anterior. Com o resultado abaixo de 100 pontos (em uma escala de 0 a 200 pontos), o consumidor encontra-se pessimista.
 
O ICEA, indicador que traduz o sentimento do consumidor em relação à sua situação atual, também sofreu leve queda de 0,4% em comparação com o mês anterior e ficou em 55,2 pontos. Já o IEC, responsável por antecipar as percepções do consumidor em relação ao futuro e, consequentemente, sua propensão para compras, também registrou queda de 5,5% em comparação ao mês anterior, somando 129 pontos, portanto ainda em otimismo.
 
A pesquisa também apontou a maior queda entre aqueles que ganham 10 salários mínimos ou mais, um resultado inédito desde a primeira apuração em Janeiro de 2017.
 
Segundo o presidente do Sicomercio, Eduardo Hervatin, “apesar da inflação estar controlada e a Taxa Básica de Juros em queda mensal, a geração de empregos e a economia no geral ainda não começaram a crescer no rítmico em que se era esperado. Somados aos últimos eventos vividos na economia como o aumento da alíquota de impostos sobre combustíveis e risco de não atingir a meta fiscal, colaboram para diminuir a confiança do consumidor”, conclui Eduardo.
 
 
Metodologia
O ICC começou a ser apurado mensalmente pelo Sindicato do Comércio Varejista de Limeira (Sicomércio Limeira) em janeiro de 2017. Os dados foram coletados com 547 consumidores no município. O objetivo é identificar o sentimento dos consumidores levando em conta suas condições econômicas atuais e suas expectativas quanto à situação econômica futura.

 

Os resultados são segmentados por nível de renda, gênero e idade. O ICC varia de zero (pessimismo total) a 200 (otimismo total). Sua composição, além do índice geral, apresenta-se em: Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) e Índice das Expectativas do Consumidor (IEC). Os dados da pesquisa servem como um balizador para decisões de investimento e para formação de estoques por parte dos varejistas, bem como para outros tipos de investimento das empresas.

 

A metodologia do ICC foi desenvolvida com base no Consumer Confidence Index, índice norte-americano que surgiu em 1950 na Universidade de Michigan. No início da década de 1990, a equipe econômica da FecomercioSP adaptou a metodologia da pesquisa norte-americana à realidade brasileira. Atualmente, o índice da Federação é usado como referência nas reuniões do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), responsável pela definição da taxa de juros no País, a exemplo do que ocorre com o aproveitamento do CCI pelo Banco Central dos Estados Unidos.
58 recommended